Redes varejistas suspendem compra de carne de áreas devastadas da Amazônia


Pão de Açúcar, Carrefour e Wal-Mart suspenderam a compra de carnes de 11 frigoríficos apontados pelo MPF (Ministério Público Federal) do Pará como comercializadores de gado criado em área de devastação da Amazônia. Entre eles estão alguns dos maiores frigoríficos do país, como Bertin e Minerva.

Os supermercados resolveram tomar a atitude em conjunto, após a denúncia do MPF e da ONG Greenpeace. Segundo as redes varejistas, a iniciativa inclui a notificação dos frigoríficos, a suspensão de compras das fazendas denunciadas e exigências de guias de trânsito animal anexadas às notas fiscais dos frigoríficos. Matéria de Cristiane Barbieri, da Folha de S.Paulo.

“Como medida adicional, as três redes solicitarão, ainda, um plano de auditoria independente e de reconhecimento internacional que assegure que os produtos que comercializam não são procedentes de áreas de devastação da Amazônia”, afirmaram em comunicado, assinado em conjunto com a Abras (Associação Brasileira de Supermercados).

No início do mês, o MPF ajuizou 21 ações civis públicas pedindo indenização de R$ 2,1 bilhões de pecuaristas e frigoríficos que comercializaram animais criados em fazendas desmatadas ilegalmente. Após isso, foram enviadas notificações a 69 empresas que compram insumos dessas áreas da região amazônica.

Leia o artigo completo aqui.

Finalmente é tomada alguma atitude sobre os impactos ambientais da pecuaria. Claro que essa ainda não é a melhor atitude, mas já é alguma coisa, não?!

2 comentários:

Hamanda Portal 15 de junho de 2009 16:59  

isso me lembra o gritinho clássico: "pra amazonia sobreviver, preste atenção no que vai comer!" \o/

Surya 15 de junho de 2009 17:08  

e tem aque também: "pra ter carne no seu prato, a amazônia vira pasto"...
beijos mandinha

Postar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Voltar aoTopo