Apreensão de Animais na Praça da República


Neste domingo, foram aprendidos pela Guarda Municipal alguns dos animais que estavam sendo comercializados na praça da República, dentre eles três cachorros e um periquito australiano com uma das asas cortadas. A apreensão ocorreu mediante denúncia dos Ativistas dos grupos de proteção animal Vem (Vegetarianos em Movimento) e Asdepa (Associação de Proteção animal), que fiscalizam o comercio de animais no local, fazendo denuncias sempre que visualizam qualquer forma de venda.


No momento da averiguação da denuncia pela guarda municipal, foi possível avistar vários vendedores de animais no local, porém com a aproximação dos guardas, os mesmos se evadiram, sendo que só foi possível a apreensão de quatro animais já citados. O vendedor que teve os animais apreendidos foi encaminhado à DEMA (delegacia de meio ambiente), pois o periquito australiano estava visivelmente abatido, inclusive com uma das asas mutiladas, caracterizando maus tratos.

Os ativistas no momento atuam no sentido de exigir o cumprimento da Lei municipal n° 8.413/05, que proíbe a venda de animais domésticos em locais públicos, sendo que a praça da república é um dos focos de atuação dos protetores, pois lá existe um tradicional comercio ilegal de animais aos domingos. Paralelamente os ativistas também desenvolvem uma campanha educativa intitulada “Amigo não se compra, se adota”, com o objetivo de coibir qualquer forma de venda de animais, inclusive a venda elitizada em petshops.

Read more...

AMIGO NÃO SE COMPRA, SE ADOTA!


Neste domingo foi lançada oficialmente pelos grupos de proteção Animal VEM (Vegetarianos Em Movimento) e ASDEPA (Associação de Proteção Animal) a campanha intitulada: Amigo NÃO SE COMPRA, SE ADOTA! Cujo objetivo é conscientizar a população sobre a crueldade que está por trás do comércio de animais e também da necessidade e benefícios da adoção de animais abandonados.

Os ativistas dos grupos mobilizaram-se em duas frentes: O VEM, em caminhada pela praça da república distribuiu panfletos e conversou com as pessoas, exibindo um grande baner por onde passava, alertando as pessoas para que adotassem um animal, em vez de comprá-lo, enquanto a ASDEPA, realizou sua tradicional feira de adoção de cães e gatos, onde disponibilizou animais que foram retirados das ruas, de potenciais situações de risco para serem adotados. Tal atividade será realizada todo domingo pelo grupo VEM e quinzenalmente pela Associação Asdepa.

Tal parceria se deu, em função da luta política e judicial das duas associações contra o comércio ilegal de animais na capital de Belém, pois na cidade existem locais tradicionais de venda de animais. A luta se dá no sentido de exigir a aplicação da lei municipal n° 8.413/05 que proíbe a venda de animais domésticos em locais públicos prevendo apreensão dos animais e multa, sendo a competência da Guarda Municipal fiscalizar, porém, apesar da existência da lei, a comercialização ainda ocorre em plena luz do dia e sob o manto da legitimação social. Atualmente os dois grupos concentram suas forças para acabar com a venda na praça da república e apesar da existência da lei e de todo esforço empregado, ainda vemos muitas dificuldades, pois infelizmente o poder público tem poucos recursos e déficit de pessoal para fiscalizar. Nesse sentido, o grupo visualizou a necessidade da criação da campanha, que viria para desmoralizar TODO TIPO de venda de animais e conscientizar a população, visto que a comercialização é aceita e legitimada pela sociedade, apesar de legalmente ser proibida.


O grande objetivo da Campanha “AMIGO NÃO SE COMPRA, SE ADOTA!”, é alertar para o fato de que toda vez que alguém cede ao apelo do bicho de “raça”, e compra um animal em petshops, canis ou em vendedores de rua, está contribuindo muitas vezes cruel indústria de vidas, alimentando as obscuras fábricas de filhotes, que além de reproduzir animais indiscriminadamente sem ter certeza do destino que este ser vivo terá, tem práticas extremamente cruéis de reprodução, paralelamente a isso, a comercialização de animais incentiva o descarte de animais sem raça definida (os vira-latas) e todos os dias centenas de animais são abandonados nas ruas e reproduzem-se em massa, e nessa situação são vitimas de todas as espécies de abusos, sofrendo maus tratos, passando fome, frio, sendo atropelados e adoecendo, sem que a sociedade lhes dê a devida atenção ou se comova com seu sofrimento.

Dessa forma, quando alguém ADOTA um animal em vez de comprar, uni o útil ao agradável, pois além de retirar um animal das ruas dando a ele uma vida digna e feliz, deixa de contribuir com o mercado de animais, evitando o sofrimento de animais em canis e fábricas de filhotes.

É importante que a população saiba que nos bastidores do comércio de animais, criadores irresponsáveis, movidos pelo desejo de lucro fácil, literalmente FABRICAM ANIMAIS, usando fêmeas como se fossem máquinas, desprezando o fato de que elas também são seres vivos, que precisam de descanso, cuidados médicos, têm necessidades maternais de estarem próximas dos filhotes e necessidades afetivas. Os machos usados como reprodutores são tratados como meros produtos: vivem em isolamento contínuo, enjaulados por anos sem qualquer tipo de carinho, e não recebem cuidados médicos adequados, visto que veterinários e remédios são caros, e para que a venda de seus filhotes seja mais lucrativa é necessário economizar com tratamento médico. Quando esses animais já não podem mais se reproduzir por estarem doentes ou velhos demais, são simplesmente descartados, sendo muitas vezes abandonados nas ruas ou sacrificados. Por isso, quando alguém compra um animal, alimenta esse mercado IMORAL e INESCRUPULOSO de vidas.

A campanha quer incentivar a adoção de animais abandonados em disfunção da comercialização, pois há muitos animais em abrigos de entidades de proteção à espera de um guarda responsável adotante. Os animais de abrigos, geralmente são animais que foram resgatados das ruas e que sofreram maus-tratos, e quando são adotados, dão lugar a outros animais, que também são retirados das ruas e de situações de risco. Eles são tratados por entidades protetoras que nada recebem em troca a não ser a paz de ver alguns animais a salvo. Eles trabalham com seus próprios recursos financeiros, sem ajuda estatal, apenas com a ajuda de poucas pessoas que apóiam seu trabalho. Por isso, a ASDEPA e VEM fazem um apelo; “Animal não é produto, não compre e não venda, ajude um animal carente a sair das ruas”.

Quem quiser ser voluntário da campanha, ajudando na divulgação e panfletagem nos domingo na praça da república é só entrar em contato pelo email vegetarianosemmovimento@gmail.com ou vegetarianosemmovimento.blogspot.com / fone: 82191032 / 82245115

ONDE ADOTAR? Feira de adoção da ASDEPA, domingo, Praça de República, ao lado da guarita da Guarda Municipal. Contato: www.asdepa.com.br ou asdepa2007@yahoo.com.br ou procure o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) Rod Augusto Montenegro, Km 11, e funciona de 2ª a 6ª, no horário de 8h às 17h. Informações no telefone: 3227-0355.

Read more...

Campanha contra a venda de Animais na Praça da República

Cada vez que alguém cede ao apelo do “bicho fofinho” sem a devida responsabilidade, e COMPRA um animal em feiras, praças, petshops ou canis, contribui para alimentar as chamadas “fábricas de filhotes”. Esses criadores irresponsáveis, movidos pelo desejo de lucro fácil, literalmente FABRICAM ANIMAIS, usando fêmeas como se fossem máquinas, desprezando o fato de que elas também são seres vivos, que precisam de descanso, cuidados médicos, têm necessidades maternais de estarem próximas dos filhotes e necessidades afetivas. Animais usados como reprodutores são tratados como meros produtos: vivem em isolamento contínuo, enjaulados por anos sem qualquer tipo de carinho, e não recebem cuidados médicos adequados, visto que veterinários e remédios são caros, e para que a venda de seus filhotes seja mais lucrativa é necessário economizar com tratamento médico. Quando esses animais já não podem mais se reproduzir por estarem doentes ou velhos demais, são simplesmente descartados, sendo muitas vezes abandonados nas ruas ou sacrificados. Por isso, quando alguém compra um animal, alimenta esse mercado IMORAL e INESCRUPULOSO de vidas.


ANIMAL NÃO É PRODUTO. Não alimente esta indústria cruel! Existe a Lei Municipal n° 8.413/2005 que proíbe a venda de animais em feiras, ruas ou praças. Não seja CÚMPLICE dessa ILEGALIDADE! NÃO COMPRE, ADOTE!

Há muitos animais em abrigos de entidades de proteção à espera de um guarda responsável como VOCÊ. Geralmente são animais que foram resgatados das ruas e que sofreram maus-tratos, e assim que forem adotados, darão lugar a outros animais, que também serão retirados das ruas e de situações de risco. Eles são tratados por entidades protetoras que nada recebem em troca a não ser a paz de ver alguns animais a salvo. Eles trabalham com seus próprios recursos financeiros, sem ajuda estatal, apenas com a ajuda de poucas pessoas que apóiam seu trabalho. Por isso, ajude um animal carente a sair das ruas e evite a exploração de animais em fábricas de filhotes.

ONDE ADOTAR? Feira de adoção da ASDEPA, domingo, Praça de República, ao lado da guarita da Guarda Municipal. Contato: www.asdepa.com.br ou asdepa2007@yahoo.com.br. Ou procure o Centro de Controle de Zoonoses.


Colabore com os Animais!


Precisamos de VOLUNTÁRIOS para realizarem atividade de PANFLETAGEM próximo aos locais de venda de filhotes.

Concentração: Praça da República, Rua Osvaldo Cruz, na Barraca do VEM - Vegetarianos em Movimento.

Data: 07/11/10 (domingo), a partir das 09 horas.

(essa atividade deverá se repetir nos domingos seguintes, colabore sempre que puder)



Read more...

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Voltar aoTopo